domingo, 1 de fevereiro de 2009

Só um desabafo sobre violência.

"Quando eu crescer vou ser policial, é só matar o ladrão."

Meu priminho de quatro anos é um amor! Curto e grosso. Estúpido também, mas não nego, sincero.

Matar o ladrão. Seria realmente bem prático, assim como eu faço com os pernilongos.

Caço.

Mato.

Rio da morte deles (que me perdoem os protetores dos animais, mas ô bichinho irritante).

Não quero falar sobre pena de morte, mesmo por que nem eu tenho uma opinião formada sobre isso, mas que porcaria de mundo é esse em que um pirralho com menos de um quarto da minha idade chega e me diz: "É só matar o ladrão"?

Pelo menos ele não é o ladrão.

Ainda.

Espera ele descobrir esses jogos violentos e politicamente incorretos para computadores. Afinal, eles fazem tanto sucesso!

Expliquem-me, oh vocês seres humanos cultos: Pra quê? Pra que se vestir de branco no ano novo, pedir paz, mas pregar a violência desse jeito? Me diz, que sentido faz um apresentador de um programa de TV medíocre (daqueles sensacionalistas que só apresentam sangue, morte, sangue, morte, sabe?) se sentir orgulhoso por que um pai manda um e-mail elogiando o programa e dizendo que "meu filho de cinco anos não perde um dia"?

O ser humano se adaptou à violência, infelizmente. Isso me irrita, profundamente.

Quem sabe da próxima vez eu escreva sobre coisas menos desagradáveis como...

Pernilongos!

Nenhum comentário:

Postar um comentário