terça-feira, 24 de fevereiro de 2009

Só mais uma divagação sobre o amor

Algumas pessoas, como passar do tempo, colecionam desilusões. Os relacionamentos, seja lá com quem for, vão dando errado, há a perda, há o medo, o isolamento, e por fim, a solidão.

Estas pessoas então, perdem a fé na vida, desacreditam da coisa da qual ninguém jamais poderia duvidar: do amor. Elas simplesmente desistem, e o pior é que acham que finalmente encontraram a verdade. Estão erradas, pois o amor existe, seja lá o tipo de amor que eu esteja falando, seja ele entre um casal, entre pais e filhos, entre irmãos, entre amigos, tanto faz, ele existe.

O que pode acontecer, às vezes, é um grande efeito dominó: quando uma pessoa deixa de acreditar no amor, ela finge pra ela mesma que ele não existe, e por causa disso, não o transparece para o próximo, que vai acabar por desacreditar também.

Talvez esse sentimento, diferentemente do ódio, por exemplo, que é incontrolável, é opcional, você pode fingir que ele é uma invenção, uma desculpa pra  conseguir realizar os próprios interesses, ou você pode acreditar nele, e dissemina-lo, por que assim como a falta de fé no amor é contagiosa, o próprio amor é também.

Tem gente que diz que não ama por que sofre, e eu tenho uma opinião sobre isso: a gente não sofre por causa do amor, sofre pela falta dele. Sofre, porque não sabe o real sentido dele, sofre porque quer sofrer. Sim, porque quer.

Acho que todo mundo conhece aquela infeliz canção, “ninguém me ama, ninguém me quer, vou comer barata ♫” . Tem gente que faz disso o seu hino, e não faz nada pra mudar, porque se ninguém ‘tá nem aí comigo, é porque alguma coisa de errado tem.

Posso ser suspeito para falar coisas como as que eu escrevi aqui, como um romântico sem solução assumido, mas pense por você mesmo, como você quer viver sendo amado se você não acredita no sentimento pelo qual você espera?

Nunca desista do amor, por mais que pareça que ele tenha desistido de você. É meu palpite, meu conselho.

Eu amo. Eu acredito no amor. Eu sou feliz.

 

*texto dedicado à uma grande-grande amiga que mais do que nunca, precisa se lembrar do amor*

4 comentários:

  1. e essa amiga deveria transformar esse texto em um mantra. pra ela repetir todo dia.
    o ex só diz a verdade, acredite nele.
    nele e no amor.

    ele existe, eu tenho certeza :D

    nós dois amamos você (L)

    [ex, você transforma verdades em poesia. parabéns, está belíssimo, assim como toda verdade bem dita *e bendita*.]

    ResponderExcluir
  2. antes eu sofria direto, por causa de desilusões, ja cheguei a acreditar que o amor não existe , mas depois de um tempo eu descobri que ' a dor é incevitável e o sofrimento opcional ' ♪ , a gente sofre porque quer , e muitas pessoas acha que sofrer é porque amor não existe, porque se não existisse não sofreria, mas o amor nos mostra várias coisas que somos incapazes de ver, e assim ficamos perdidos , é meio estranho mas , se o amor nos faz sofrer é porque não é amor , é paixão , como minha mãe diz ' fogo de palha '
    beeijão :*

    ResponderExcluir
  3. Será que é a GRANDE amiga que penso xD !?

    Ahn, eu sou meio contraditório para falar de amor. Já estive em todas essas posições, em disseminador e descrente do amor. Mas é fato que você nasceu por amor, vive buscando amor e consegue fazer coisas incríveis por amor. O amor existe sim, e é uma força respeitável.

    Ótimo texto, Matheus!

    ResponderExcluir