sábado, 7 de março de 2009

Maldito barulho

Eu pego o lápis, a caneta, o giz de cera,
Tanto faz, afinal.
Alguém pega a máquina de cortar grama.

Eu tento escrever, desenhar, cantar,
Tanto faz, afinal.
Quem é o infeliz que está gritando agora?

Preciso pensar, me concentrar, respirar,
Tanto faz, afinal.
Mas não param de bater!

Eu vou me irritar, me estressar, enfartar,
Tanto faz afinal.
Dá pra, por favor, parar com esse som?

Faria tudo pelo silêncio agora,
Tanto faz, afinal.
Esse lugar parece mesmo um inferno.

Nunca ouviu que é preciso silêncio pra se concentrar?
Tanto faz, afinal.
Maldito barulho.

Espere...
Tanto faz se deixam me concentrar.
Tanto faz se há silêncio.
Se a inspiração não vier.
Se sair tudo errado.

Mesmo assim eu escrevo, desenho, canto.
Mesmo assim eu penso, eu respiro.
Nada vai me estressar, me irritar.
O maior barulho, afinal, vem do meu peito.

3 comentários:

  1. blog com cara nova *-* , realmente o maior barulho vêm de dentro do peito :/
    mas até qe se as pessoas ao redor diminuissem seu volume , as coisas seriam mais faceis, em ambas as partes :*

    ResponderExcluir
  2. Sofro desse mal.
    Mas ultimamente os meus barulhos tem sido melodias lindíssimas. Acredite se quiser.
    Adorei o texto.
    :D

    ResponderExcluir
  3. Esse texto me irritou profundamente XD

    (Eu senti o barulho)

    Olha quanta gente lendo o Matheus o_o E blog de cara nova o/ Continue o bom trabalho!

    ResponderExcluir