terça-feira, 2 de junho de 2009

Paranóias, provérbios e expressões impressas. Impressões expressas.

Quem sabe um dia isso aconteça;
Que de trás da escuridão espessa
A luz do túnel apareça,
Só enxergo a escuridão.

E a falta de sintonia!
Quando em plena luz do dia
Me afogo em alegria...
E de noite, é solidão.

A esperança só piora,
Ela põe o medo pra fora,
E quando vejo, o olho chora,
Afundado em ilusão.

Sempre tem um túnel no fim da luz.

Quem sabe um dia isso aconteça;
Que de trás da escuridão apareça
A luz do túnel, esqueça.
Só enxergo a solidão.

E a falta de sintonia!
Quando falta luz em pleno dia!
Eu mal vejo alegria...
E de noite, é ilusão.

A esperança põe pra fora,
Ela o medo só piora,
E quando vejo, tudo chora,
Afundado em escuridão.

Sempre tem um túnel no fim da luz.
Muito túnel, pouca luz.

Sempre tem um túnel no fim da luz.

4 comentários:

  1. Matheus,
    Que lindo!
    Estou encantado com os seus textos, mais uma vez. Fazia tempo que não passava por aqui, e me escandalisei agora, que voltei.
    Parabéns, textos ótimos. Lindo, lindo!

    ResponderExcluir
  2. vou parar de comentar nessa joça. você detonou com meus adjetivos! revoltei-me.

    (o poema, pra variar só um pouquinho, tá perfeito).

    ResponderExcluir
  3. Esse foi bem bipolar, e sendo um assunto tão batido o poema precisou ser excepcionalmente bom para me dar uma visão nova e interessante sobre ele. Parabéns, e acabaram-se meus adjetivos também!

    ResponderExcluir