domingo, 30 de agosto de 2009

Azul

É uma música lenta,
Sem nenhum verso.
Um melodia isenta,
Um ritmo disperso.

Disperso.
Disperso mas denso.

Eu lembro de você,
Meu corpo se desmonta.
É quase sem querer.
Meu pulso desencontra.

Perdido.
Perdido mas intenso.

Meus olhos se fecham,
Eu fico sem ação.
Sinais não se expressam.
Abro um buraco no chão.

Onde está meu coração?
Não sei nem se devia.
Me perdi nessa canção.
Só sei que eu queria.

Eu queria entender!
Eu queria saber!
Porque? Porque?

É uma música lenta,
Sem nenhum verso.
Um melodia isenta,
Um ritmo disperso.

Disperso.

domingo, 23 de agosto de 2009

Insanidade reestabelecida, o paciente pode enfim voltar ao hospital psiquiátrico.

Preciso de tempo em um hospício.
Para poder me livrar do meu vício.
Essa compulsão pelo desperdício.
Desperdício de mim.
Minha mente já não pode pensar.
Me sinto num oco do tamanho do mar.
Esperando o momento certo de naufragar.
Esperando o fim.
E num mísero momento de sanidade,
Lucidez da qual tenho saudade,
Declaro que apesar da minha idade,
Já não estou são.
Neste quarto de paredes brancas
Não existem mais alavancas.
Nem nada além das trancas.
Aqui só existe o não.
Admito então que estou louco,
Louco, por muito, não pouco.
Louco de gritar e ficar rouco.
Louco de amor e desamores.
Espero estar vivo quando acabar.
Espero de insanidade não definhar.
Espero viver, sorrir e amar.
Espero viver, sorrir e amar.

terça-feira, 18 de agosto de 2009

Individualidade Contestada, Rimas Assassinadas.

Meu gosto não importa,
Não me importo se você não gosta.
Tenho meus motivos,
Tenho minhas razões.
Tenho pânico da sua dó,
e raiva de seus conceitos.
Não gosto de seguir a moda,
Se gosto dela, sou individual.
Não gosto de ser seguido.
Mas quem não gosta de ser notado?
Me respeite, meu caro amigo.
Você pode até ser respeitado.

Me deixa em paz.

quarta-feira, 5 de agosto de 2009

Eletronicidade



Sinta a batida
Siga o movimento
A música é sua amiga
O som, seu alimento.

Som, som, som.

Pinte o céu de vermelho
Reinvente as suas cores
Mude o reflexo do espelho
Experimente os novos sabores.

Som, som, som.

A melodia ecoando
O ar é eletrônico
Minha mente repousando
Meu coração é supersônico

Som, som, som.

Som, som, som.

Som, som, som.