sexta-feira, 27 de novembro de 2009

Metamorfose (Prelúdio)

Mergulhar, mergulhar,
No mais profundo âmago.
Refletir, espelhar,
O mais sincero eu.
Revirar, vomitar,
O que há dentro da cabeça.
Clarear, clarear,
O meu próprio breu.

Enfrentar, aproveitar,
E fechar os olhos.
Tencionar, raciocinar,
Sobre a escuridão.
Expressar, revelar,
Os meus sentimentos.
Usar, empregar,
A própria solidão.

Está na hora de tirar a máscara,
O fingimento acabou.
Está na hora de se despir por dentro,
O fim, finalmente, chegou.

6 comentários:

  1. É incrível a maneira como você consegue "evoluir" de estrofe pra estrofe nos seus poemas, muito bom mesmo. Bela escolha de verbos e de título :)

    ResponderExcluir
  2. Lindo, como sempre!

    (E ter o link do meu blog por aqui é um dos meus troféus na blogosfera. )

    ResponderExcluir
  3. ex, deixa de ser fresco e publica o poema novo xD

    ResponderExcluir