terça-feira, 29 de dezembro de 2009

Querer



Não sou suficientemente bom pra você,
É, é. Não sou.
Mas não ligo.

Eu não sou nada bom pra você,
É, é. Pra ninguém.
Mas não ligo.

Eu te quero mesmo assim.

Sou prepotente,
E você não vive sem mim.
E é evidente,
Eu só aceito um sim.

Sou prepotente, e você não vive sem mim.
Eu não presto pra ninguém.
E eu te quero mesmo assim.

Ah, amor, não me deixe esperando.
Ah, amor, não me diga não.
Se negar, continuarei te amando,
Mas ah, amor, não me diga não.

Eu não sou nada bom pra você,
É, é. Pra ninguém.
Mas não ligo.

Ah, amor, não me deixe esperando.
Ah, amor, não me diga não.

Eu não sou o esperado,
Eu realmente não ligo.
Eu não sou o indicado,
Mas, por favor, casa comigo?

quarta-feira, 23 de dezembro de 2009

Casulo


Eu sei quem eu sou.

Os mesmos e os mesmos erros.
É queda atrás de queda.
Eu me envolvo em desespero.
E no fim, a mesma...
Conclusão.

Eu não preciso esperar,
Se eu não vou melhorar,
É só mergulhar.
É só mergulhar.

Nos mesmos e nos mesmos erros.
Em queda atrás de queda.
No mesmo desespero.
No fim, na mesma merda.

O que adianta tentar mudar,
Se ninguém ao menos acredita?
De que adianta tentar mudar
Se minha própria moral me limita?

Meu maior problema.
É insistir em sofrer.
Sofrer pra aprender.
Quando eu não precisaria.
Meu maior dilema
É tentar entender,
Sem nem resolver,
O que a dor evitaria.

Eu não preciso esperar,
Pra tentar melhorar,
Você acreditar.
Você acreditar.

Livrar-me dos mesmos erros.
E levantar de cada queda.
Fugir dos desesperos.
E mudar a...
Conclusão.

Eu sou forte pra crescer
Acredite você ou não.
Não precisa escurecer.
Pra eu clarear meu coração.

Eu sei quem eu sou.
Eu sei quem eu sou.

quinta-feira, 17 de dezembro de 2009

Trauma



Vou ficar louco.
Essa é minha conclusão.
Vou ficar louco.
Não há escape ou solução.
Vou ficar louco.

Quantas vezes tentei te odiar,
Quantas vezes seu maldito fantasma
Insistiu em me assombrar.
Pelo menos eu te esqueci.

Pelo menos eu te esqueci.

Você entrou com força na minha vida,
Construiu e desmoronou cada pedaço.
E mesmo sem eu querer tua saída,
Pelo menos eu te esqueci.

Pelo menos eu te esqueci.

Você só não me deixa esquecer
O quanto eu fui insignificante
E o quão incapaz eu posso, ainda, ser
De me tornar realmente interessante.

Não diga que se arrepende.
De não ter dado atenção.
Não diga que nunca aprende.
Você não teve a intenção.
Não diga que se arrepende.
Eu sei que não, eu sei que não.

Vou ficar louco.
Essa é minha conclusão.
Vou ficar louco.
Não há escape ou solução.
Vou ficar louco.

Quantas vezes tentei te odiar,
Quantas vezes eu vi seu maldito fantasma.
Quantas vezes tentei te odiar.
Pelo menos eu te esqueci.

Pelo menos eu te esqueci.

terça-feira, 1 de dezembro de 2009

Noite sem lua



Tantos semi-conhecidos, falsos amigos,
Que não mentem, mas não são reais.
Tantos relacionamentos frágeis como vidro
Mesmo quando não superficiais.

Quem estará lá por mim?

Tanta vida coincide e incide
Sempre em um mesmo ideal.
Tanta gente, mesmo junta,
Cujo sentimento é desleal.

Quem estará lá por mim?

Mil pessoas sendo honestas e sinceras,
Mas o laço não é forte.
Mil pessoas aparecem e desaparecem,
Do nascimento até a morte.

Quem estará lá por mim?

Quando meu mundo acabar
E alguém, ao me abandonar
Quando a minha vida, então conhecer,
O que diabos eu mesmo vou ser?

Quem estará lá por mim?
Quem estará lá por mim?

Tantos semi-conhecidos, falsos amigos,
Que não mentem, mas não são reais.
Tantos relacionamentos frágeis como vidro
Mesmo quando não superficiais.

Mesmo quando não são superficiais.

Quem estará lá por mim?
Eu espero que você esteja,
Eu espero que você esteja.