quinta-feira, 14 de janeiro de 2010

Blackout (Epílogo)


Agora é tarde.
Já passa da meia noite,
E o escuro é incalculável.

Agora é tarde.
E por mais que nos açoite,
O chicote é inegável.

Agora é tarde.
Posso ouvir meu coração.
A tristeza inconsolável.

Agora é tarde.
Mas não tenho outra opção.
A fuga é inevitável.

A fuga...

Um comentário: