terça-feira, 27 de abril de 2010

Tempestade



Já faz um bom tempo.
Que eu quero te falar
Que já faz um bom tempo
Que eu estou no meu lugar.

Que eu não te odeio
E que suas mentiras
Só me fizeram cair na real.
Que as pessoas como você
Criam armadilhas
Que podem me fazer mal.

Mas hoje não.

Porque eu sou uma tempestade
Uma tempestade
Eu posso dar um tempo
E você se achar livre, amigo.
Mas eu sou uma tempestade
Uma tempestade
Logo vem o vento
Melhor correr atrás de abrigo.

Eu era tão ingênuo
Você pôs a culpa em mim.
Eu era tão ingênuo
Mas isso chegou ao fim.

Porque eu sou melhor agora.
E me tornei mais forte.
Obrigado por ser desleal.
Porque depois eu aprendi
A não contar com a sorte
Porque pode ser fatal

Por hoje não.

Porque eu sou uma tempestade
Uma tempestade
Eu posso dar um tempo
E você se achar livre, amigo.
Mas eu sou uma tempestade
Uma tempestade
Logo vem o vento
Melhor correr atrás de abrigo.

Pode ser
Que eu um momento
Eu enfraqueça e vire só em orvalho.
Mas não esqueça
Que logo vem tormento.
Eu sou forte pra █████

Porque eu sou uma tempestade
Uma tempestade
Eu posso dar um tempo
E você se achar livre, amigo.
Mas eu sou uma tempestade
Uma tempestade
Logo vem o vento
Melhor correr atrás de abrigo.

Porque eu sou uma tempestade
Uma tempestade.
Eu sou uma tempestade.
Corra atrás de abrigo.

domingo, 18 de abril de 2010

Imperfeição


Me ajude
Eu errei de novo.
Eu me feri com a verdade.

Me ajude
Eu caí de novo
E trombei com a realidade.

De que eu nunca vou ser o melhor.

Olhe para ele
Tão mais bonito.
Talentoso, inteligente.

Olhe para ele
Tão mais esperto
Confiante, experiente.

Eu não sou
Nem nunca vou ser
O melhor em nada
Que eu tentar fazer.
Eu não sou
E nunca vou ser
O mais interessante
Eu continuo a dizer.

Me ajude
Eu falhei de novo
E me afundei na solidão

Me ajude
Eu surtei de novo
E me afoguei na escuridão.

De que nunca vou ser o melhor.

Olhe para ele
Tão mais bonito.
Talentoso, inteligente.

Olhe para ele
Tão mais esperto
Confiante, experiente.

Nunca vou ser o melhor.

Olhe pra mim
Nunca vou ser tão bonito.
Olhe pra mim.
Talentoso, inteligente.

Olhe pra mim
Nunca vou ser tão esperto.
Olhe pra mim.
Confiante, experiente.

Eu não sou
Nem nunca vou ser
O melhor em nada
Que eu tentar fazer.
Eu não sou
E nunca vou ser
O mais interessante
Eu continuo a dizer.

Eu não sou.
Nem nunca vou ser.
Eu não sou.
Nem nunca vou ser.

Me ajude
Eu errei de novo.
Eu me feri com a verdade.

Me ajude
Eu caí de novo
E trombei com a realidade.

De que eu nunca vou ser o melhor.

sábado, 10 de abril de 2010

Phasmatodea


Eu ando devagar
Sempre muito, muito lento.
Meu leve caminhar
Simula o bater do vento.

Sou estranho, não me leve a mal.
Eu sou inseto, um bicho-pau.

Eu ando sempre em frente,
Frágil mas insensível.
Sou um tanto diferente.
Mas sou mesmo invisível.

Sou estranho, não me leve a mal.
Eu sou inseto, um bicho pau.

E mesmo que eu possa voar,
Pequenas distâncias alcançar,
Não deixo de me camuflar.

Eu não chamo atenção.

Eu ando sempre em frente,
Frágil mas insensível.
Sou um tanto diferente.
Mas sou mesmo invisível.

Sou um tanto diferente,
Mas sou mesmo invisível.

Sou estranho, não me leve a mal.
Eu sou inseto, um bicho pau.
Eu sou inseto, um bicho pau.