sábado, 10 de abril de 2010

Phasmatodea


Eu ando devagar
Sempre muito, muito lento.
Meu leve caminhar
Simula o bater do vento.

Sou estranho, não me leve a mal.
Eu sou inseto, um bicho-pau.

Eu ando sempre em frente,
Frágil mas insensível.
Sou um tanto diferente.
Mas sou mesmo invisível.

Sou estranho, não me leve a mal.
Eu sou inseto, um bicho pau.

E mesmo que eu possa voar,
Pequenas distâncias alcançar,
Não deixo de me camuflar.

Eu não chamo atenção.

Eu ando sempre em frente,
Frágil mas insensível.
Sou um tanto diferente.
Mas sou mesmo invisível.

Sou um tanto diferente,
Mas sou mesmo invisível.

Sou estranho, não me leve a mal.
Eu sou inseto, um bicho pau.
Eu sou inseto, um bicho pau.

Um comentário:

  1. Emo. Mas, fazer o que, né? Continua escrevendo melhor que eu. <3

    ResponderExcluir