domingo, 23 de maio de 2010

Tributo à arte


Eu me perco em sua voz,
Eu me afundo em sua música,
Eu danço com a batida,
Eu me encanto com a melodia.

Eu choro com os seus versos,
Eu grito com as suas notas,
Eu me inspiro em seus refrões,
Eu repito os seus bordões.

Obrigado por não me deixar sozinho.
Obrigado por me entender.
Obrigado por ser a única
A única a me defender.

Quando eu estou feliz,
Quando eu quero dançar,
Quando eu me sinto mal,
Quando eu me sinto mau.

Obrigado por não me deixar sozinho.
Obrigado por me entender.
Obrigado por ser a única
A única a me defender.

Eu sei que é solitário.
Eu sei que é irreal.
Apoiar a vida na música.
Mas o mundo é desleal.
Eu quero o que me completa.
Eu quero o que me faz bem.
O que não causa dor.
O que me convém.

Quando eu não sei o que quero.
Quando eu não sei nem querer.
Quando eu sou egoísta.
Ou me meto a altruísta.

Obrigado por não me deixar sozinho.
Obrigado por me entender.
Obrigado por ser a única
A única a me defender.

Obrigado à música
Pela própria música.

terça-feira, 18 de maio de 2010

Manifesto Abraçista


Eu sou a favor do abraço.
Do abraço entre irmãos.
Do abraço entre amigos.
Do abraço entre desconhecidos.
Até entre inimigos.

Nada substitui um abraço.

Eu sou a favor do abraço.
Do abraço de mãe.
Do abraço de pai.
Do abraço de quem vem.
Do abraço de quem vai.
Até de quem fica.

Nada subsitui um abraço.

Eu sou a favor do abraço.
Do abraço entre namorados.
Do abraço entre enlutados.
Do abraço entre felizardos.
Até entre emburrados.

Nada subsitui um abraço.

Me abrace quando eu te chamar
Me abrace quando eu precisar
Me abrace quando eu cair
Me abrace mesmo sem pedir

Nada substitui um abraço.

Nada na vida substitui um abraço.

terça-feira, 11 de maio de 2010

Nuvem


O vento brinca com as nunvens.
As formas variam.
É lindo, é mágico.
É trágico.

Elas não controlam seu destino.
Não controlam seu destino.

A vida brinca com as nuvens.
Elas vão e vêm num sopro.
É bonito para quem olha.
Para quem está por fora.

Elas não controlam seu destino.
Não controlam seu destino.

A vida maltrata as nuvens.
O clima fica pesado.
As tempestades se aproximam.
E as nuvens choram.

Elas não controlam seu destino.
Não controlam seu destino.

Quem dera não fossemos nuvens.
E tivéssemos liberdade.
Quem dera não fossemos nuvens.
E vivessemos de verdade.

Elas não controlam seu destino.
Não controlam seu destino.